Discussões sobre eficiência marcam encerramento do Fórum Nacional de Contratações

Evento contou com a participação de 135 inscritos, de diversos órgãos públicos do país

O que causa mais prejuízo para a população brasileira, a corrupção ou a ineficiência? Não há números oficiais para uma resposta exata. No entanto, o auditor federal de controle externo do Tribunal de Contas da União, Alexandre Cavalcanti, garante que a má gestão causa enormes déficit nos cofres públicos e deve ser combatida.

O tema foi discutido durante a palestra de encerramento do Fórum Nacional de Contratações da Justiça do Trabalho, realizado entre os dias 23 e 24 no Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso.

Segundo o auditor, é fundamental a busca por uma cultura voltada para a eficiência da gestão onde se utilize a criatividade para conseguir melhores resultados, mantendo a qualidade do que se vai adquirir, mas com os melhores custos. “Temos que avançar nessa questão da eficiência e da busca de resultado porque isso tem gerado um prejuízo enorme para o país. Quero acreditar que melhores dias virão, no entanto, esse momento de crise deve servir para desenvolver em todos nós a cultura da eficiência”, avaliou.

O último dia de evento contou ainda com a palestra do diretor geral do TRT de Mato Grosso, Amadeu Gonçalves, que apresentou aos participantes a palestra “Plano Anual de aquisições: Estudos Técnicos Preliminares e Compras Compartilhadas”. Segundo Gonçalves, o cenário econômico de crise e cortes de gastos obrigou a todos a aprimorar a execução orçamentária.

O orçamento da Justiça do Trabalho mato-grossense na area de custeio para 2015 foi de 31 milhões de reais, número que caiu drasticamente em 2016, quando totalizou 14,2 milhões de reais. Durante sua palestra, Amadeu conversou com os participantes sobre a sistemática adotada pelo Tribunal para realizar contratações nesses momentos de crise e com maior foco na eficiência.

O Diretor-Geral do TRT destacou o sucesso do evento, que reuniu 135 participantes de diversos órgãos públicos de todo pais. E todos vieram “com um único propósito: aprimorar o atendimento à sociedade”, disse.

Para a coordenadora de planejamento orçamento e finanças do Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT), Katia Silva, o evento foi um sucesso e proporcionou o intercâmbio de experiências e boas práticas. Ela pontuou ainda que a Justiça do Trabalho está trabalhando com comprometimento no cumprimento dos limites orçamentários. “Todos aqui vão sair olhando a administração pública de forma diferente. Quero parabenizar o TRT pela iniciativa desse fórum, que foi sensacional”.

Cristiano Barros, participante do TRT de Minas Gerais, elogiou a organização do evento e as escolhas dos temas a debatidos. “Organização impecável, aliada a uma abordagem muito bem pensada, que escolheu os elementos mais críticos do sistema para o debate”, avaliou.

O último dia do evento contou ainda com a palestra da chefe de departamento de riscos corporativos e referências operacionais do Banco Centro do Brasil, Isabela Maria. Ela apresentou ao público a experiência do banco na área.

O Fórum Nacional de Contratações da Justiça do Trabalho foi organizado pelo TRT/MT em parceria com o Conselho Superior da Justiça do Trabalho (CSJT). O evento buscou aprimorar as competências dos gestores públicos na área de contratações, por meio de explanações teóricas, estudos de legislações e jurisprudências, debates e trocas de experiências.

Fonte: TRT23