A página eletrônica do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi reformulada para dar mais transparência e facilitar o acesso às informações para o público em geral. Entre as principais mudanças está a nova disposição do “menu”, que passou a estar disponível de forma fixa no alto da página.

O atual domínio do CNJ foi lançado em 2008, em substituição ao portal que estava no ar desde a criação do Conselho e ainda utilizada o domínio “.gov.br”. Nos últimos 10 anos alguns aprimoramentos foram feitos, sendo o mais recente a tradução automática do conteúdo em português para Libras, feita conforme a determina a Resolução n. 230/2016, que tornou obrigatórias em todo o Judiciário as medidas previstas na Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência e na Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, internalizada no Brasil por meio do Decreto n. 6.949/2009.

Facilidade de navegação, acompanhamento das sessões plenárias em tempo real, acessos a serviços judiciais, informações sobre os cartórios e as principais ações do Conselho são alguns dos benefícios do portal eletrônico do CNJ.

Grupo de trabalho

As mudanças feitas nesta semana foram definidas pelo Grupo de Trabalho criado pela a Secretaria-Geral (SG) e pela Secretaria Especial de Programas, Pesquisas e Gestão Estratégica (SEP) do CNJ por meio da Portaria Conjunta n.2/2018, para elaborar a proposta de reformulação do Portal do CNJ e estabelecer uma política de boas práticas para gestão do conteúdo do site.

A próxima tarefa do grupo de trabalho é apresentar proposta de regulamentação para a gestão do conteúdo do portal, garantindo sua confiabilidade e que não haja duplicidade de informações nas diferentes páginas do site e da Intranet.

Paralelamente a essas melhorias na disposição e na gestão do conteúdo do Portal, o Grupo de Trabalho está elaborando estudos para o desenvolvimento de um novo Portal, com nova plataforma, arquitetura da informação e adequações à questões de acessibilidade, por exemplo.

Dados do portal

Tendo como parâmetro o ano de 2018, em média, o Portal CNJ possui 1.900.000 de acessos por mês. Em números absolutos, no ano passado, o Portal obteve 23.961.815 visualizações de páginas.

O tempo médio que o usuário passa em nossa página é de 2 minutos. Nas notícias, a média é de 3 minutos 39 segundos. As notícias do CNJ são as páginas mais lidas, totalizando 6.174.958 visualizações. Além das notícias, o usuário acessa muito as páginas de serviços e de sistemas, como a página da Apostila da Haia, do BNMP, Renajud e da Justiça Aberta.

Fonte: CNJ

Av. Carlos Rodrigues da Cruz, s/nº - Capucho - CEP: 49081-015

Centro Administrativo Gov. Augusto Franco - Aracaju/SE

CNPJ 01.445.033/0001-08