Foi realizado na manhã desta quarta-feira, 10/10, no auditório do Tribunal Regional do Trabalho da 20ª Região, o Fórum de Acessibilidade e Inclusão que teve como tema “Um olhar para o século 21”. O evento, promovido pela Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do TRT20, teve como palestrantes a promotora de justiça do Ministério Público Estadual, Ana Galgane, e o jornalista Jairo Marques, colunista no Jornal Folha de São Paulo.

Na abertura do Fórum o presidente do TRT20, desembargador Thenisson Santana Dória, ressaltou a importância da realização de um evento que discuta sobre a acessibilidade e parabenizou os servidores que participaram da organização. Na ocasião, o público foi agraciado com música de qualidade, através da apresentação do coral 20ª Voz e da participação do vereador e artista, Lucas Aribé, que cantou algumas canções.

A primeira palestra da manhã foi da promotora de justiça, Ana Galgane, que procurou mostrar um olhar mais humano sobre o tema. “Enquanto mãe de uma pessoa com Síndrome de Down, quero despertar em todos o valor humano, a importância de acreditar e dar oportunidade as pessoas com deficiência. A acessibilidade é um passo enorme para a verdadeira inclusão social e é importante falar para um público distante dessa vivência. Geralmente costumamos falar de nós para nós mesmos, por isso, é muito bom estar aqui para despertar a consciência do outro, para ter um olhar mais humano e enxergar que a inclusão é possível”, destacou Ana Galgane.

O jornalista Jairo Marques levou questionamentos para o público durante sua explanação. “Costumo fazer provocações para que a pessoa reflita qual seu pensamento sobre a pessoa com deficiência, para que avalie se esse pensamento condiz com a realidade, se é um pensamento que condiz com a modernidade. Porque as vezes a pessoa com deficiência é tratada como alguém do passado, com valores do passado ou com olhar de piedade e assistencialismo, que é o pior dos olhares. Então coloco exemplos e provocações justamente para que o público analise como tem sido seu olhar”, ressaltou o palestrante.

Para Jairo, o maior desafio é trabalhar uma mentalidade mais inclusiva entre as pessoas. “Falar para os pares é fácil, o desafio é falar para aqueles que estão no contato com as pessoas com deficiência no seu dia a dia e as vezes não se dão conta, mas tem um olhar descuidado, de displicência. A diversidade é para ser amparada e abraçada para que consigamos construir uma sociedade diversa”, afirmou o jornalista que concluiu relatando que os desafios da acessibilidade no Brasil começa do básico. “Ainda temos dificuldades com a rampa, na rua, com a calçada inapropriada. Enfim, não conseguimos garantir o mínimo, nem mesmo a cesta básica para pessoa com deficiência”.

O Fórum foi destinado ao público interno e externo em consonância com a proposta da Resolução nº 230 do Conselho Nacional de Justiça, de 22/06/2016, que orienta a instituição de Comissões Permanentes de Acessibilidade e Inclusão no órgãos do Poder Judiciário, visando promover a difusão de uma cultura de inclusão social estimulando o respeito às diferenças e a valorização da diversidade no contexto de trabalho, a melhoria das condições de acessibilidade que possam viabilizar e garantir a integração das ações desenvolvidas pelo TRT, em cumprimento à legislação vigente relativa à pessoa portadora de deficiência.

Fotos: Roberta Dias e Daniela Sampaio/Ascom

 

Av. Carlos Rodrigues da Cruz, s/nº - Capucho - CEP: 49081-015

Centro Administrativo Gov. Augusto Franco - Aracaju/SE

CNPJ 01.445.033/0001-08